Liberdade Para Todos!!! - "Desde que do meu jeito"

by Jenner Maciejewsky 11. setembro 2007 04:56

Você se considera livre para fazer suas escolhas ? Acredita que elas foram tomadas com "liberdade"?

 

A liberdade é uma noção que designa, de uma maneira negativa, a ausência de submissão, de servidão e de determinação, isto é, ela qualifica a independência do ser humano. (Wikipedia)

É incrivel como aqueles que fazem parte do movimento de Software Livre, gostam de taxar, usuários de Windows, com frases como "Quem é inteligente usa Software Livre", "Vocês serão preguiçosos demais para resistir? (ao Windows)", e muitas outras, sempre chamando de tolos, ou coisa pior, aqueles que tem opinião diferente ao movimento. Como é que pode, aqueles que respeitam tanto a liberdade, não aceitar as decisões dos outros ?

 

Espere ai, se eu decidi utilizar o software A ou B mesmo aceitando suas restrições, isso não é Liberdade? Mesmo existindo opções totalmente livres, eu decidi escolher aquele de minha preferencia. Isso é Liberdade, ou não é ?

 

Age com mais liberdade quem melhor compreende as alternativas em escolha. Quanto mais claramente uma alternativa apareça como a verdadeira, mais facilmente se escolhe essa alternativa.(Descartes)

Certamente algumas escolhas são em função do que o mercado utiliza, pelo menos é o que alguns profissionais fazem. Mas neste caso, as escolhas não são apenas por questão de liberdade, mas de posição estratégica no mercado, vejam por exemplo o crescimento do mercado de Software Livre, ou você acredita que todos que adotaram as ferramentas livres foram por que acreditam no movimento e querem contribuir com ele?.

 

Quando mudei de ambiente DOS (Clipper) para ambiente Windows, escolhi o Visual Basic (na época o 4.0), justamente por que o Visual Basic era uma das linguagens que oferecia melhor integração aos produtos da Microsoft, precisei escolher entre Delphi e VB, Java veio depois. Trabalho com Visual Basic desde a versão 4.0, poderia já ter mudado para C# ou Java por estarem em evidência no mercado, mas neste caso consigo fazer em VB o que faço em C# ou Java, ai é que entra minha escolha, minha liberdade. Mas não adianta muito minha escolha por A ou por B, quem determina a plataforma e os recursos é o Cliente, e como profissional eu devo me posicionar no mercado para atender à s necessidades dos Clientes ou somente daqueles que eu quero atender.

 

Escrevi esse post depois de ler uma entrevista do Stallman ao IDG Now, a entrevista com título "Por favor, não chame o GNU de Linux", em que mais uma vez o Richard Stallman faz suas criticas àqueles que não compartilham de suas ideias. A maioria dos profissionais (pelo menos os que conheço) não estão preocupados em ter acesso ao código, os que eles querem é atender bem seus clientes, e pelo que me consta a escolha é sempre do cliente, e o cliente não quer comprar movimento politico, ele compra solução para seus negócios, essas soluções nem sempre vem com tanta liberdade. Vejam as corporações que vem adotando o GNU/Linux, essas tendem a escolher uma distribuição Red Hat ou Novell, será que a Red Hat continuam oferecendo suporte quando o administrador de rede resolve adicionar um recurso da comunidade a uma distribuição da Red Hat?

 

Não sou contra o SL, apenas não concordo com o movimento de lavagem cerebral que normalmente é feito com frases de impacto como "De que lado você está?".

 

Aproveitem e leiam esse relato Relato da palestra sobre a GPLv3 de Richard Stallman no FISL

 

Jenner Maciejewsky Rocha 
MVP Visual Basic

Tags: ,

Blog | Comunidade | General

Comentários (3) -

27/12/2009 09:30:54 #

crisblog

OK, meninos.

Jenner, parabéns pelo post. Na verdade foi um desabafo. E foi o primeiro post diferente do blog, porque você está nele.

Excelentes os dois comentários. O respeito profissional. Acredito que na medida exata para ambos.

Não entendo tecnicamente dessas tecnologias, mas entendo de liberdade. De mudanças. Novas filosofias. Novos conceitos. Novas definições. Novas determinações. Globalização. Novas portas e janelas abertas para o novo.

Desde que mundo é mundo, e que aprendemos a nos comunicar sem grunhidos, a roda só tende a girar.  Vivemos eternamente em buscas de transformações. Seja na filosofia, na ciência, nas sociedades, nas tecnologias.

Jenner, entendo também a sua tristeza com relação a ausência de respeito de alguns. Não sei se irá amenizar esse estado d'alma, mas todo novo conceito é provocador mesmo. É de sua natureza. Vem sempre para contrapor o existente.
Lembra-se de como era um computador? Ocupava toda uma sala. Depois ficou em cima da mesa. Depois na bolsa tira-cola. Depois na palma da mão. E o que falamos hoje ? nada, apenas ficamos rindo do passado.

Mas foi esse passado que nos trouxe para o presente e está nos levando para o futuro. É isso.

Beijinhos.

Adorei o post.

crisblog

27/12/2009 18:30:54 #

Jenner Maciejewsky

Antonio,

Concordo contigo que o Stallman não representa por si só o movimento de SL, e que como qualquer outro movimento, ou grupo, as ídeias dos participantes tem divergencia em alguns pontos, isso é natural, o que os unem é justamente o foco principal do movimento, a ideologia, o modelo, etc. É claro que quando falo, "Como aqueles que fazem partem", tem ai suas exceções, mas devo dizer que são poucos os que encontro que tem postura diferente. Já ouvi muito aqui em Belém frases do tipo: "Quem é inteligente usa Linux", lembra ? Smile

Talvez eu tenha falhando em não incluir na frase algo tipo "Algumas Pessoas", mas quem conhece e acompanha bem a comunidade de SL sabe que nem todos são assim, e é do senso comum falar da parte expressando o todo.

Com relação aos outros tópicos, não farei comentários pois se trata de opniões diferentes da minha (acabaria em discussão sem fim), e o que devo fazer é respeitar sua opnião, como sempre faço, mesmo não concordando com ela, seja no todo ou em partes.

Mais voltando ao Stallman, não digo que ele esteja certo ou errado, mas dentro do espaço de conhecimento e racionalidade que tenho, não tenho como concordar com a ideias dele, talvez por serem realmente tolas ou por serem avançadas demais para nosso tempo, ou meu tempo. Minha intenção de critica, foi justamente da postura dele e de outros, quando falam em liberdade, acabam por não respeitarem as dos outros.

Depois é sempre bom ter o contrapeso, já pensou em um mundo onde todos concordassem entre si? Smile

Abraços, e muito obrigado por participar deste espaço.

Jenner Maciejewsky

28/12/2009 03:30:54 #

ASF

Jenner,

Você deve ter o cuidade de evitar algumas interprestações equivocadas:

1- A opinião do Stallman não corresponde a opinião de todos aqueles que apreciam ou divulgam, trabalham, evangelizam, militam, etc, etc pelo software livre. Ela representa simplesmente a opinião d Stallman e é certo que algumas pessoas concorda completamente com ele, assim como há pessoas que concordam com os ideiais de Madre Teresa ou do Hitler.

2- O Stallman representa uma corrente de pensamento mais radical do movimento do SL e devemos respeitar suas opiniões porque elas são de uma lógica irrefutável, infelizmente vivemos em um mundo imperfeito.

3- Um belo exemplo de compreensão disso é o Projeto Ubuntu. Com o Ubuntu, a partir d Gutsy Gibbon (que será lançado em 17/10), você terá versões com 100% de aplicações  livres mas contendo blobs binários (para compatibilidade com hardware de fabricantes que recusam-se a documentar seus produtos), codecs (proprietários), etc, para oferecer a melhor experiência possível ao usuário. E uma versão radical, realmente 100% livre, até mesmo elementos com imagens, vídeos e etc, que acompanharem essa versão, serão de fonte aberta. Isso é muito bom por dois motivos: A) atende os desejos do puristas, B) servirá como um bom termômetro para medir por exemplo o quanto determinado hardware, software ou protocolo é aberto ou bem documentado. E por outro lado também permitirá medir em quem nível já será possível usar um software completamente livre com o que temos disponível no mercado.

Eu sou obrigado a discordar de você quanto a essa visão de que em relação a software tudo resume-se a uma relação comercial entre forncedor e cliente. Talvez há uma década atrás isso fosse verdade, porém hoje, o software se tornou um insumo fundamental da vida em sociedade e como tal transcendeu as questões puramente mercadológicas.

A vida humana moderna depende do software, portanto não se pode mais aplicar a ele somente as leis do mercado, uma certa regulação ou melhor dizendo, um enfoque mais holístico é necessário.

Pra finalizar eu gostaria de relatar um experiência pessoal. Muitas pessoas que eu conheço, não todas, se aproximaram do SL por razões profissionais, como você bem disse em seu texto, mas é incontestável que quase 100% delas, após serem expostas por algum tempo a essa tecnologia, começaram a pensar de maneira diferente. Começaram a enxergar as coisas de forma mais profunda, crítica e reflexiva, talvez seja por isso que muitos que ainda não passaram por essa experiência, de realmente se aprofundar no estudo do SL, não compreendam certas opiniões e atitudes dessas pessoas. E erroneamente interpretem que elas estão assumindo uma postura contra a liberdade daqueles que utilizam principalmente software Microsoft.

Vocês ainda não compreenderam, o fato é que essas pessoas que usam e divulgam SL estão tão entusiasmadas com essa tecnologia, que gostaria que todos tivesses acesso a ela e experimentassem o que elas estão vivenciando.

Eu sei que alguns exageram, e há idiotas nos dois lados, gente que não sabe como se portar.

Mas no fund é simplesmente isso, uma enorme vontade de dizer: ei, experimenta, você não sabe o que está perdendo!

ASF

Os comentários estão fechados

Posts Antigos

Awards